TEATRO
Acompanhe o melhor do teatro adulto e infantil! As principais estreias nos palcos estão aqui.
Não deixe de ler as matérias e críticas.

Críticas - Teatro Adulto

Claudia Raia brilha como Tarsila do Amaral no teatro musical
Publicado em 24/03/2024, 10:00
3
Facebook Share Button
A história cultural do Brasil é riquíssima.
Diante de tanta misoginia, ainda mais nos anos, 20, pensar em Tarsila do Amaral, é homenagear uma mulher que foi genial pintora e bem à frente do seu tempo.
Inspirado no movimento Modernista, o qual Tarsila representava, e no espírito empreendedor e questionador de todos os participantes, um grito de brasilidade, o musical traz para o palco cenário (destaque para quadros famosos de Tarsila), trilha e figurino (que revivem o espírito da época, com cores, desenhos e texturas inspirados nas criações de Tarsila, na Antropofagia, na sua admiração pelas pessoas mais simples e que mostram a sua elegância).
Nos papéis principais, Claudia Raia e Jarbas Homem de Melo, como Oswald de Andrade.
A direção é de José Possi Neto.
Valorizar a história é essencial e o teatro deve, e pode ser, um meio para que grandes artistas não caiam no esquecimento.
Talvez esse seja o musical que Claudia Raia mostre com maior desenvoltura o quanto ela é talentosa.
É uma produção que leva ao teatro quem admira a artista de TV? Também, claro, mas o grande mérito desse trabalho é falar com o público, principalmente jovem, sobre a nossa riqueza artística.
Não existe a preocupação de total fidelidade biográfica, mas respeitam, claro, a trajetória da artista e de todos que fizeram parte da sua vida.
Tarsila é nossa maior pintora e já foi homenageada em peças teatrais, TV, cinema, livros, como parte essencial do Movimento Modernista de 1922.
Em pleno 2024, a mulher sofre misoginia, violência, ainda é inferiorizada. É preciso que existam produções que promovam o respeito.
Tarsila e Oswald eram ricos, de famílias que lucravam com o café. Poderiam ter vivido sob as regras de uma tradição arcaica, mas ousaram artisticamente e tinham uma visão social além do quadrado burguês. Artistas geniais, assim como os demais que representam o Modernismo. Como é bom ver grandes atores interpretando figuras tão incríveis.
Anita Malfatti (Keila Bueno), Mário de Andrade (Dennis Pinheiro) e Menotti del Picchia (Ivan Parente), que, com Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade, formaram o quinteto de modernistas que mudaram a história da arte brasileira.

Além deles, completam o elenco de 23 atores cantores: Carol Costa (Dulce/ Pagu), Liane Maia (Dona Olívia Guedes Penteado), Reiner Tenente (Luís Martins /Blaise Cendras), Estela Ribeiro (ensemble/ Tarsila do Amaral alternante), e também André Luiz Odin (ensemble), John Seabra (ensemble/ Mário de Andrade cover), Fernanda Godoy (ensemble/ swing), Fernanda Salla (ensemble), Guilherme Terra (Ígor Stravinsky/ Maestro condutor), Marcos Lanza (ensemble), Marilice Cosenza (ensemble/ Anita Malfatti cover), Matheus Paiva (ensemble), Mirella Guida (ensemble), Carol Botelho (ensemble / Dulce/Pagu cover), Rafael Leal (ensemble), Renato Bellini (ensemble), Vanessa Costa (ensemble / Dona Olívia Guedes Penteado cover), Guilherme Pereira (ensemble / dance captain).

Na equipe criativa de Tarsila - a Brasileira também estão Tony Lucchesi e Guilherme Terra (Músicas), Alonso Barros (Coreografia e Direção de Movimento), Renato Theobaldo (Cenário), Fabio Namatame (Figurino) e Dicko Lorenzo (Visagismo).

Sinopse

A história começa com a chegada de Tarsila a São Paulo, em 1922, vinda da Escola de Artes de Paris, e seu encontro com os modernistas, que daria origem ao famoso Grupo dos Cinco (Tarsila, Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti del Picchia) e seria o início de um tórrido romance entre ela e Oswald. A ação então passa pela efervescência e excessos dos modernistas, a vida entre São Paulo e Paris, o atribulado e concorrido atelier de Tarsila em Paris, frequentado pela nata artística da época (Pablo Picasso, Igor Stravinsky, Eric Satie, Jean Cocteau, entre outros), o “redescobrimento do Brasil” e as revoluções estéticas que culminaram no movimento Antropofágico e na criação do Abaporu, ponto máximo da colaboração artística entre Tarsila e Oswald.

A segunda parte da história começa justamente com a Crise de 1929, quando Tarsila perde toda a sua fortuna e descobre a traição de Oswald com Pagu, jovem protegida do casal. Separada de Oswald e destituída de suas fazendas, Tarsila viaja para Moscou e dá início a sua fase de pinturas “sociais”, retratando os trabalhadores brasileiros. Tarsila é presa pela polícia de Getúlio Vargas, suspeita por atividades “revolucionárias” pelo simples fato de ter ido à Rússia. Acolhida e amparada pelos amigos, Tarsila então conhece seu último amor, o jornalista carioca Luis Martins, 24 anos mais jovem do que ela, com quem viveria por dezoito anos.

Após a morte da sua filha e sua neta, da separação de Luís, e da morte de Mário, Anita e Oswald, Tarsila reflete sobre suas perdas e encontra consolo na espiritualidade – mais especificamente, na doutrina espírita de Chico Xavier. Numa epifania, Tarsila revela sua visão e renova sua convicção na Arte como possibilidade de transcendência e de encontro com as pessoas que amou e as pessoas que compartilharam do mesmo sonho, que se funde com a Retrospectiva da Semana de Arte Moderna, cem anos depois, numa grande consagração da Cultura brasileira.

EQUIPE CRIATIVA COMPLETA
Texto e Letras de
Anna Toledo e José Possi Neto
Músicas: Guilherme Terra e Tony Lucchesi
Encenação e Direção de Arte: José Possi Neto
Coreografia e Direção de Movimento: Alonso Barros
Direção Musical: Guilherme Terra
Cenário: Renato Theobaldo
Figurino: Fábio Namatame
Visagismo: Dicko Lorenzo
Realização: Oito Graus Produções e Rega Início Produções Artísticas
Idealização: Raia Produções


SERVIÇO | TARSILA, A BRASILEIRA
Dia: A partir de 25 de janeiro até 26 de maio (conferir no site todas as datas disponíveis)
Horários: Quintas-feiras, às 20h;
Sextas-feiras, às 20h;
Sábados, às 16h e 20h;
Domingos, às 16h e 20h
Duração: 2h30min
Local: Teatro Santander
Endereço: Shopping JK Iguatemi - Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041
Classificação etária: 8 anos, menores de 12 anos acompanhados dos pais ou responsáveis legais.
Clique nas imagens para ampliar:

DE OLHO NA CENA ® 2015 - Todos os Direitos Reservados
. . . . . . . . . . . .

DE OLHO NA CENA BY NANDA ROVERE - TUDO SOBRE TEATRO, CINEMA, SHOWS E EVENTOS Sou historiadora e jornalista, apaixonada por nossa cultura, especialmente pelo teatro.Na minha opinião, a arte pode melhorar, e muito, o mundo em que vivemos e muitos artistas trabalham com esse objetivo. de olho na cena, nanda rovere, chananda rovere, estreias de teatro são Paulo, estreias de teatro sp, criticas sobre teatro, criticas sobre teatro adulto, criticas sobre teatro infantil, estreias de teatro infantil sp, teatro em sp, teatros em sp, cultura sp, o que fazer em são Paulo, conhecendo o teatro, matérias sobre teatro, teatro adulto, teatro infantil, shows em sp, eventos em sp, teatros em cartaz em sp, teatros em cartaz na capital, teatros em cartaz, teatros em são Paulo, teatro zona sul sp, teatro zona leste sp, teatro zona oeste sp, nanda roveri,

CRISOFT - Criação de Sites ® 2005
HOME PAGE | QUEM SOU | TEATRO ADULTO | TEATRO INFANTIL | MULTICULTURAL | CONTATO
CRÍTICAS OPINIÕES CINEMA
MATÉRIAS MATÉRIAS SHOWS
ESTREIAS ESTREIAS EVENTOS