TEATRO
Acompanhe o melhor do teatro adulto e infantil! As principais estreias nos palcos estão aqui.
Não deixe de ler as matérias e críticas.

Teatro Adulto - Estreias

Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna, é a mais nova montagem dirigida por Gabriel Villela

Com o mineiro Grupo Maria Cutia, a estreia nacional é na décima nona edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto
Sinopse
O espetáculo Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna é a mais nova montagem dirigida por Gabriel Villela e faz a sua estreia nacional na décima nona edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto. A encenação tem o apoio do SESC da cidade.

É a primeira parceria entre o diretor e o grupo Maria Cutia de teatro. A montagem foi concebida para a rua e em Ribeirão é que será apresentada dentro do teatro histórico da cidade. Formam o Grupo Maria Cutia: Leonardo Rocha, Mariana Arruda, Hugo da Silva. Atores convidados: Lucas De Jota Torres, Malu Grossi, Marcelo Veronez e Polyana Horta.

Uma obra popular nordestina, brasileira, que como Villela disse em entrevistas, contém a paródia em vários momentos, com estruturas brechtianas, permitindo uma leitura que preserva as características originais do texto e, ao mesmo tempo, apresente uma visão sempre própria e oportuna do diretor.

Uma montagem que busca levar para a cena uma fala de caráter universal, mas sem deixar de lado referências ao universo mineiro, do diretor e do grupo, e à cultura nordestina, do autor.

A trama traz as aventuras picarescas de Chicó e João Grilo, que começam com o enterro e o testamento do cachorro do Padeiro e de sua Mulher, e acabam em uma epopeia milagrosa no sertão envolvendo o clero, o cangaço, Jesus, Maria e o Diabo.

Chicó e João vivem de golpes para sobreviver, acabam se metendo numa enrascada e são perseguidos pelo temido cangaceiro Severino de Aracaju. Só a Nossa Senhora poderá salvá-los... ou não!

Os sete atores em cena alternam papeis masculinos e femininos, com um humor sarcástico, que promove diversão, mas também traz um tom critico com relação a quem tenta resolver os obstáculos a todo custo, mesmo que para isso seja preciso violar normas e convenções sociais, o famoso ¨jeitinho brasileiro¨.

Momentos da nossa política atual ganham citações e, apesar do sotaque mineiro estar presente, a ideia é levar para o palco uma fala sem características regionais marcantes para valorizar a atemporalidade da obra de um dos grandes mestres da nossa literatura e teatro ( e também mostrar o quanto ela continua atual e vibrante)..

Como em todos os seus trabalhos, o diretor prima pela poesia na criação das cenas, com um belo visual, que tem entre os destaques os figurinos (que além de belos, contribuem para dar sentido à trama encenada).

O cenário e figurino, ambos assinados por Villela, ressaltam o sincretismo do nosso povo e trazem referências orientais, mineiras ( a cor do barro das tragédias de Mariana e Brumadinho são visíveis) e nordestinas. “De Mariana e Brumadinho vieram o barro trágico de nossos dias e Pernambuco nos emprestou a forma e o brilho de seus carnavais mitológicos”, comenta o diretor e figurinista.

A música sempre tem papel importante nas suas montagens, para conduzir a trama e ressaltam o tom poético de suas criações. Um diferencial é a potência vocal dos atores trabalhada pela preparadora vocal Babaya Morais (parceira desde Romeu e Julieta, com o grupo Galpão – 1992).

Um diferencial que proporciona ao elenco um preparo vocal de excelência para que o canto e os diálogos sejam realizados sem a ajuda de microfones, mesmo em grandes espaços.

A música também é uma característica do Maria Cutia, que as executam ao vivo, e possuem um talento enorme para a interpretação e o canto. Grupo fundado em 2006, em Belo Horizonte, que já ganhou reconhecimento Brasil afora e já passou pela África de Língua Portuguesa: Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Angola e Moçambique.

A equipe técnica é formada por profissionais que já têm com Gabriel parcerias de alta qualidade, o que já promove em quem acompanha os trabalhos do diretor uma excelente expectativa com relação ao primor dos seus novos espetáculos: Além de Babaya; que também assina a direção musical com Fernando Muzzi, a assistente de direção é Lydia Del Picchia, atriz do Grupo Galpão e o assistente de figurino é o José Rosa.

As sessões acontecem no dia 9 de junho, domingo, às 19h30 e no dia 10 de junho, segunda, às 21h. São 1000 lugares gratuitos disponíveis no Theatro Pedro II. A Retirada de ingressos deve ser feita com 1h de antecedência.

É o início de uma agenda de apresentações que já tem presença confirmada no 3º Festival Nacional de Teatro de Passos e região – sul de minas.

É o teatro de Gabriel Villela emanando luz nesses tempos sombrios e levando para a cena Ariano Suassuna. O teatro que nos salva do caos através da poesia. Minas Gerais e seus artistas de grande talento.

Sobre o Maria Cutia
O Maria Cutia busca espalhar teatro por praças e palcos, capitais e sertões, movido pela cumplicidade com o público e por uma poética popular, lúdica e musical. Criado em 2006, em Belo Horizonte, já se apresentou em mais de 160 cidades espalhadas por 19 estados brasileiros, além de 5 países da África de Língua Portuguesa: Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Angola e Moçambique.

Auto da Compadecida é o oitavo espetáculo da Companhia, que nos últimos tempos se dedicou a produzir os trabalhos solos de dois dos integrantes: os shows-cênicos Para Chicos (2017) e Francisco (2015), e o espetáculo de palco Engenho de Dentro (2018). Além desses trabalhos, o Maria Cutia tem em repertório as montagens Ópera de Sabão (2015), Como a Gente Gosta (2011) e Na Roda (2006) e guarda com carinho o espetáculo Concerto em Ré (2010) em sua trajetória.


Para mais detalhes sobre o espetáculo e o evento, acesse: https://www.sescsp.org.br e a página do grupo de teatro: https://www.facebook.com/grupomariacutiadeteatro/

Direção: Gabriel Villela
Grupo Maria Cutia: Leonardo Rocha, Mariana Arruda, Hugo da Silva
Atores convidados: Lucas De Jota Torres, Malu Grossi, Marcelo Veronez e Polyana Horta
Assistente de Direção: Lydia Del Picchia
Preparação vocal: Babaya
Direção musical: Babaya e Fernando Muzzi Cenário
Figurino: Gabriel Villela
Assistente de Figurino: José Rosa
Fotografia: Tati Motta
Produção: Luisa Monteiro - Grupo Maria Cutia
DE OLHO NA CENA ® 2015 - Todos os Direitos Reservados
. . . . . . . . . . . .

DE OLHO NA CENA BY NANDA ROVERE - TUDO SOBRE TEATRO, CINEMA, SHOWS E EVENTOS Sou historiadora e jornalista, apaixonada por nossa cultura, especialmente pelo teatro.Na minha opinião, a arte pode melhorar, e muito, o mundo em que vivemos e muitos artistas trabalham com esse objetivo. de olho na cena, nanda rovere, chananda rovere, estreias de teatro são Paulo, estreias de teatro sp, criticas sobre teatro, criticas sobre teatro adulto, criticas sobre teatro infantil, estreias de teatro infantil sp, teatro em sp, teatros em sp, cultura sp, o que fazer em são Paulo, conhecendo o teatro, matérias sobre teatro, teatro adulto, teatro infantil, shows em sp, eventos em sp, teatros em cartaz em sp, teatros em cartaz na capital, teatros em cartaz, teatros em são Paulo, teatro zona sul sp, teatro zona leste sp, teatro zona oeste sp, nanda roveri,

CRISOFT - Criação de Sites ® 2005
HOME PAGE | QUEM SOU | TEATRO ADULTO | TEATRO INFANTIL | MULTICULTURAL | CONTATO
CRÍTICAS OPINIÕES CINEMA
MATÉRIAS MATÉRIAS SHOWS
ESTREIAS ESTREIAS EVENTOS