TEATRO
Acompanhe o melhor do teatro adulto e infantil! As principais estreias nos palcos estão aqui.
Não deixe de ler as matérias e críticas.

Críticas - Teatro Adulto

Uma vida boa
Publicado em 13/04/2017, 22:00
3
Facebook Share Button
Um grito necessário e urgente contra a homofobia. Viva o respeito e o amor!

Elenco: Amanda Mirásci, Daniel Chagas e Julianne Trevisol.
Texto: Rafael Primot
Direção: Diogo Liberano

Claro que existe o momento da diversão, senão não aguentamos o cotidiano, mas a arte é um meio de reflexão e ao colocar em discussão determinados assuntos, pode contribuir para um mundo melhor.

O espetáculo Uma vida boa é essencial porque fala de homofobia que gera tragédias. O mais triste é que o texto escrito por Rafael Primot foi baseado num fato real, no assassinato de um garoto trans.

A intolerância gera cenas impactantes e que evidenciam atitudes machistas e violentas num ambiente em que impera o preconceito e, acima de tudo, a ignorância. Apesar de falar de um assunto triste e urgente, a encenação prima pela delicadeza na condução das cenas.

A história real aconteceu nos Estados Unidos, em dezembro de 1993. O fato que deu origem ao espetáculo inspirou também o documentário The Brandon Teen a Story (1998) e o filme Meninos não choram (1999).

Na trama, B é um homem nascido num corpo de mulher, que é assassinado. Ele está sempre fugindo porque encontra no seu caminho pessoas que não o aceitam.

Num certo lugar (não especificado no teatro) B conhece uma moça (L) e se apaixona. No início esconde a sua sexualidade (como assumir a sua identidade se o seu caminho foi sempre pontuado por decepções?).

Após ser violentada sexualmente, B revela a sua história para L, que a apoia. A moça sempre sofreu com o assédio masculino por ser bonita e sexy. É uma cantora promissora, mas trabalha num karaokê sem muita perspectiva de futuro.

O problema é que elas são colegas de um homem machista, J, garanhão que tenta driblar o tédio da cidade pequena roubando carros. Ele trata as mulheres como objeto sexual e carrega dentro de si ódio e preconceito.

Infelizmente, existem muitos casos de homicídio que envolvem a população LGBT no Brasil e no mundo. Ações inaceitáveis e que mostram o quanto o ser humano ainda precisa evoluir para entender que o que vale na vida é o amor e o caráter.

Essa montagem, de modo inteligente e competente, evidencia que políticas efetivas para garantir a cidadania plena desses cidadãos são essenciais para que agressores e assassinos não fiquem impunes.

Amanda Mirasci é uma atriz extraordinária. Os seus gestos masculinos estão na medida certa. Não há caricatura. Ela mostra a alma de um garoto que só deseja amar e ser aceito!

Chagas convence como um homem aparentemente viril, mas que é imaturo, vazio e infeliz. Julianne interpreta com louvor uma personagem que aparentemente tem um comportamento vulgar, mas que aos poucos se revela uma pessoa capaz de amar e entender o próximo.

Luz, cenário e trilha contribuem para dar força aos diálogos, gerar tensão e delimitar espaços, visto que o texto não é linear e apresenta deslocamentos entre o tempo presente e o fato ocorrido no passado.

Ficha Técnica:
Texto: Rafael Primot
Direção: Diogo Liberano
Elenco: Amanda Mirásci, Daniel Chagas e Julianne Trevisol
Diretora assistente: Dominique Arantes
Trilha sonora original: Diogo Ahmed Pereira
Iluminação: Daniela Sanchez
Figurinos: Bruno Perlatto
Cenário: Brunella Providente
Assistente de cenografia: Ana Machado
Direção de movimento: João Pedro Madureira
Preparação vocal: Verônica Machado
Projeto gráfico: Daniel Vides Veraz
Design gráfico: Ale Pessoa
Diretor de Palco: Fernando Queiroz
Mídias sociais: Téo Pasquim
Assessoria de imprensa: Pombo Correio
Foto de cena: Renato Mangolin
Foto de divulgação: Sérgio Baia
Produção local: Andreia Porto
Produção geral: Amanda Mirásci
Idealização: Pablo Sanábio
Realização: Arrakasta Produções Artísticas

SERVIÇO TEATRO EVA HERZ
Temporada: 06 de abril a 26 de maio de 2017
Dias e horários: quintas e sextas, às 21h
** Dias 14 e 21 de abril, às 18h. Após o espetáculo, o elenco faz um debate com a plateia.
Teatro Eva Herz
Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073 – Bela Vista, São Paulo
Telefone: (11) 3170-4059
164 lugares
16 anos
60 minutos
R$ 40
Vendas: Ingresso Rápido


DE OLHO NA CENA ® 2015 - Todos os Direitos Reservados
. . . . . . . . . . . .

DE OLHO NA CENA BY NANDA ROVERE - TUDO SOBRE TEATRO, CINEMA, SHOWS E EVENTOS Sou historiadora e jornalista, apaixonada por nossa cultura, especialmente pelo teatro.Na minha opinião, a arte pode melhorar, e muito, o mundo em que vivemos e muitos artistas trabalham com esse objetivo. de olho na cena, nanda rovere, chananda rovere, estreias de teatro são Paulo, estreias de teatro sp, criticas sobre teatro, criticas sobre teatro adulto, criticas sobre teatro infantil, estreias de teatro infantil sp, teatro em sp, teatros em sp, cultura sp, o que fazer em são Paulo, conhecendo o teatro, matérias sobre teatro, teatro adulto, teatro infantil, shows em sp, eventos em sp, teatros em cartaz em sp, teatros em cartaz na capital, teatros em cartaz, teatros em são Paulo, teatro zona sul sp, teatro zona leste sp, teatro zona oeste sp, nanda roveri,

CRISOFT - Criação de Sites ® 2005
HOME PAGE | QUEM SOU | TEATRO ADULTO | TEATRO INFANTIL | MULTICULTURAL | CONTATO
CRÍTICAS OPINIÕES CINEMA
MATÉRIAS MATÉRIAS SHOWS
ESTREIAS ESTREIAS EVENTOS