TEATRO
Acompanhe o melhor do teatro adulto e infantil! As principais estreias nos palcos estão aqui.
Não deixe de ler as matérias e críticas.

Críticas - Teatro Adulto

O Mistério de Irma Vap está em cartaz no Teatro Porto Seguro com direção de Jorge Farjalla e ganha um novo vigor
Publicado em 12/05/2019, 22:00
2
Facebook Share Button
No palco estão os excelentes atores Mateus Solano e Luís Miranda

Tive a oportunidade de conferir as duas montagens de O Mistério de Irma Vap, no início dos anos 90, direção de Marília Pêra.

Como todos sabem, Marco Nanini e Ney Latorraca ficaram 11 anos em cartaz e o espetáculo foi um sucesso estrondoso.

Depois, em 2008, Marília dirigiu Cássio Scapin e Marcelo Médici e a montagem ficou menos tempo em cartaz, mas o trabalho dos dois atores merece também aplausos.

O Mistério de Irma Vap surgiu como precursor do besteirol e, como tal, prima pelo exagero na fala, nos gestos, nas caracterizações.
O problema é que em muitos momentos a montagem com Nanini e Ney exageravam demais, a graça acabava vindo forçada demais. De qualquer maneira, foi um ¨acontecimento teatral¨ e as pessoas adoravam.

Na versão de Farjalla, a trama acontece num parque de diversões e o diretor, sempre ousado, criativo e perfeccionista, e com uma assinatura marcante, jamais levaria para o palco algo que tivesse alguma imitação das montagens anteriores.

Claro que o humor rasgado continua, porque ele respeita o gênero, mas o espetáculo está extremamente atual e traz piadas oportunas para os nossos dias - pitadas de crítica aos tempos sombrios. Tudo marcado e ensaiado, mas que ganha uma vivacidade muito grande. O humor está na medida certa.

Quem acompanha o trabalho de Farjalla tem a oportunidade de assistir a trabalhos que primam pelo apuro nos mínimos detalhes.

Em Doroteia, de Nelson Rodrigues, apenas um trabalho que veio a São Paulo nos últimos anos, aconteceu um processo diferenciado da pesquisa, da linguagem e da proposta cênica no uso do espaço.

No formato de arena, apresentou um clima surreal, excêntrico, expressionista, com texturas, falas, entonações, simbologias e movimentações que enfatizavam o caráter mítico da obra de Nelson Rodrigues e a loucura de mulheres viscerais que abafam qualquer prazer nas suas vidas, mas que, na verdade, carregam dentro de si muita libido.

Em Senhora dos Afogados, o mais recente trabalho do diretor que fez temporada na capital paulista, no Teatro Porto Seguro, o diretor colocou no palco ligações incestuosas, obsessões, pulsões arcaicas, conflitos entre o lógico e o irracional, onde todas as amarras foram rompidas e os personagens se moviam num tempo mítico. Um espetáculo intenso, recheado de signos e símbolos.

O Mistério de Irma Vap prima pela diversão e nem por isso merece menos elogios do que os seus espetáculos anteriores. É voltado para um público que aprecia comédia e nem por isso todo o vigor de direção comum na trajetória de Farjalla, como salientei já acima, deixa de estar em evidência.

O parque de diversões já mostra o quanto a peça busca aguçar a imaginação do espectador para a excêntrica história de Lady Enid, a nova esposa de Lord Edgar, e os demais moradores de uma residência que guarda segredos e tem moradores, no mínimo, inusitados.

A casa é assombrada por diversos seres, que também ajudam os protagonistas nas trocas de roupas, atores sem falas e de suma importância para a condução da trama. Outro detalhe, portanto, que diferencia essa montagem das assinadas por Marília, é a presença de outros atores em cena.

A luz e a trilha são essenciais para criar o clima sombrio e em alguns momentos as músicas são executadas ao vivo. O cenário também merece menção e a inspiração para a encenação foram os filmes de terror - a obra de Alfred Hitchcock não poderia ficar de fora. O incrível clipe Thriller, de Michael Jackson, é recriado de maneira hilária pelos atores.

Muito oportuna essas referências cinematográficas, na medida em que leva para o espetáculo dinamismo, homenageia o gênero e ainda deixa a trama mais interessante.

O texto já conhecido da maioria dos espectadores, não é uma dramaturgia de grande consistência e a ideia é deixar nas mãos das interpretações dos atores o trunfo de fazer com que o texto ganhe graça. E ganha muita graça. Mateus Solano e Luís Miranda dão um show em cena.

Os atores se desdobram entre os personagens com maestria e as tão famosas trocas de roupas são na maioria das vezes realizadas na frente do público.

Entre tantos momentos, como não destacar a singela homenagem ao Nanini e Ney, num certo momento da apresentação. Detalhar (o chamado spoiler) tira do espectador a oportunidade de se deliciar com a cena ao vivo.

O foco não está necessariamente na rapidez, que já foi explorada nas montagens anteriores, mas na competência dos atores em se transformar tão rapidamente nos personagens que interpretam (e a competência de quem os ajuda nas mudanças é alta, claro).

A direção de Farjalla, entre os grandes profissionais da atualidade, deu um novo vigor a essa conhecida obra. Dizem que rir é o melhor remédio, e estamos precisando (e rir com as pitadas de crítica que a montagem possui, é melhor ainda).

Ficha Técnica
Texto: Charles Ludlam
Idealização: Andrea Francez
Direção, encenação e dramaturgia: Jorge Farjalla
Elenco: Luis Miranda, Mateus Solano, Fagundes Emanuel, Greco Trevisan, Kauan Scaldelai e Thomas Marcondes. Tradução: Simone Zucato
Assistente de direção: Raphaela Tafuri
Direção de Produção: Priscila Prade e Marco Griesi
Produção executiva: Daniella Griesi e Fernando Trauer
Direção Musical: Gilson Fukushima
Cenografia: Marco Lima
Iluminação: Cesar Pivetti
Figurinos: Karen Brusttolin
Fotografia: Priscila Prade
Comunicação Visual: Kelson Spalato e Murilo Lima
Redes Sociais: Tiago Cunha e Felipe Gonçalves: Mídia: Caio de Jesus
Assessoria Jurídica: Francez e Alonso Advogados
Produção de Elenco: Marcela Altberg
Realização: BricaBraque e TeTo Cultura

Clique nas imagens para ampliar:

DE OLHO NA CENA ® 2015 - Todos os Direitos Reservados
. . . . . . . . . . . .

DE OLHO NA CENA BY NANDA ROVERE - TUDO SOBRE TEATRO, CINEMA, SHOWS E EVENTOS Sou historiadora e jornalista, apaixonada por nossa cultura, especialmente pelo teatro.Na minha opinião, a arte pode melhorar, e muito, o mundo em que vivemos e muitos artistas trabalham com esse objetivo. de olho na cena, nanda rovere, chananda rovere, estreias de teatro são Paulo, estreias de teatro sp, criticas sobre teatro, criticas sobre teatro adulto, criticas sobre teatro infantil, estreias de teatro infantil sp, teatro em sp, teatros em sp, cultura sp, o que fazer em são Paulo, conhecendo o teatro, matérias sobre teatro, teatro adulto, teatro infantil, shows em sp, eventos em sp, teatros em cartaz em sp, teatros em cartaz na capital, teatros em cartaz, teatros em são Paulo, teatro zona sul sp, teatro zona leste sp, teatro zona oeste sp, nanda roveri,

CRISOFT - Criação de Sites ® 2005
HOME PAGE | QUEM SOU | TEATRO ADULTO | TEATRO INFANTIL | MULTICULTURAL | CONTATO
CRÍTICAS OPINIÕES CINEMA
MATÉRIAS MATÉRIAS SHOWS
ESTREIAS ESTREIAS EVENTOS